Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mudanças report

por Marisa Furtado, em 03.08.15

Done! 
O dia da mudança foi o mais cansativo de todos, apesar de não ter feito quase nada durante grande parte do tempo. Mas o stress de ver pessoas a desmontar as nossas coisas na casa antiga com medo que algo corresse mal, ver a casa nova de pantanas com caixas e móveis em todas as esquinas, tudo desarrumado, ter a equipa das mudanças e do MEO a trabalhar em simultâneo e a sujarem-me tudo, ter o gato fechado no quarto durante uma data de horas, tudo junto foi coisa para me dar cabo dos nervos, já de si frágeis. 


Depois de muitas pesquisas acabámos por escolher uma empresa de mudanças certificada em vez daquelas de vão de escada que colam anúncios nas paredes. Preferíamos pagar um bocadinho mais mas ter a certeza que as nossas coisas eram tratadas com cuidado e que, caso houvesse um azar, havia seguro incluído no preço que cobria os danos. Os senhores chegaram à morada antiga pontualmente, às 9h, mas quando os vi comecei a ver também a minha vida a andar para trás. Era um senhor de 50 e tal anos que assim que viu o que tínhamos em casa para eles transportarem começou a fazer alongamentos "que isto de manhã é mais complicado, ainda temos que aquecer", e um franganote na casa dos 20 pequenino e magrinho. Apesar da primeira impressão não ter sido a melhor a coisa até nem correu mal. Tiveram muito cuidado com tudo e o senhor mais velho foi muito compreensivo em relação aos cuidados a ter com o nosso gato - não entrar no quarto onde ele estava, montar as mobílias daquela divisão em último lugar, ausentar-se da zona dos quartos quando tinha de o passar de um quarto para o outro, para não se assustar, etc. - acho é que podiam ter demorado menos tempo. Ao todo foram 7h30! Está bem que a casa antiga ficava num 3.º andar sem elevador - e eu bem vi a diferença quando transportaram as coisas para a casa nova que tem elevador. Bem mais rápido! - e a distância entre as duas moradas era de pouco mais de 20km, mas 7h30 pareceu-me um exagero. Falei com duas pessoas que também mudaram de casa recentemente e o tempo que demoraram variou entre as três e as seis horas. Mas pronto, está feito e se não fosse a empresa de mudanças tinha sido impossível. As únicas baixas que houve foram três canecas, um pires e um copo que se partiram por culpa nossa. O resto está impecável!

Ao fim do dia o cenário cá em casa era caótico. A maior parte dos móveis estavam colocados no sítio certo mas o recheio estava todo dentro das caixas, de formas que ver caixas e mais caixas por todas as divisões foi avassalador. Confesso que tive ali um momento de histerismo interior em que não sabia para onde me virar. Abria as caixas que estavam na sala, via que tinham coisas que tinham de ser guardadas no quarto, ia ao quarto e via mais caixas com coisas que tinham de ir para o armário da casa de banho... aaaaaaaaaaaaaaargh. 

11823038_10206987473423839_5779758344316869328_o.j

 

Como o trabalho de equipa é essencial nestas situações eu e o meu homem unimos esforços e em 5h pusemos a casa operacional. Tudo arrumado, tudo limpo, decorações nos sítios... e às 22h estávamos derreados a ligar para a Sushi@Home para encomendar o jantar - regalias para quem mora na capital.

 

1522688_10206989599516990_4212113452854982778_o.jp

 

Estávamos algo apreensivos antes da mudança, tínhamos receio que a nossa mobília ficasse muito atabalhoada num espaço que é mais pequeno que o anterior, mas o resultado superou largamente as expectativas. A sala é o nosso xodó, adoramo-la, mas toda a casa ficou muito harmoniosa e acolhedora, até mais que a antiga, vejo isso agora, onde as coisas estavam mais dispersas pelas divisões. Morar em Lisboa, pertinho de tudo - algo que sempre quisemos -, ir e vir a pé do trabalho, poder ir almoçar a casa é, sem sombra de dúvida, um luxo, e morar numa casa tão bonita, um bónus!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:46

Divulgação | Pingi ao Cubo

por Marisa Furtado, em 14.04.14

O projecto que vos trago hoje não só tem uma história bonita, como é um óptimo exemplo de como uma ideia pode começar timidamente, quase como brincadeira, e aos poucos transformar-se num verdadeiro negócio com imensas possibilidades de expansão.


A Cátia é uma mulher giríssima, com imensa pinta e muito estilo que, até ao início do ano passado, era vitrinista. Dedicava-se ao embelezamento de montras que, num ápice, atraiam a atenção de quem ia a passar. Ah pois é meus caros amigos, as monstras da Zara, da Mango e outras que tais só têm um objectivo: fazerem-nos entrar nas lojas e não descansarmos enquanto não tivermos 'aquele' casaco enfiado num saco. Bom, dizia eu que a Cátia era vitrinista, tinha talento e gostava muito daquilo que fazia. Entretanto conheceu o Ivo e apaixonou-se perdidamente! Ela por ele, ele por ela e quando deram por isso estavam embevecidos a tratarem-se por Pingis que, a meu ver, bate aos pontos o "fofinho", o "torrãozinho" e outras lamechices do género. Os amigos achavam piada ao nome carinhoso e, o que começou como uma brincadeira de casal, rapidamente se alargou aos mais próximos. O Pingis casaram e pouco tempo depois descobriram que, em breve, iam passar a ser três: a Cátia estava grávida do Frederico. Os Pingis estavam, assim, elevados ao cubo! À medida que a gravidez foi avançando a Cátia foi forçada a abrandar o ritmo e a deixar algumas montras para trás. Determinada a não ficar de braços cruzados, e inspirada por aquela fase mágica que estava a viver, criou o projecto Pingi ao Cubo. Como era uma mom to be começou a perceber que ia precisar de arranjar espaço para guardar todas as coisas que o bebé precisava: os cremes, as chuchas, os bonequinhos, os bodys. Por isso, e como, infelizmente, as casas não esticam, dedicou-se à criação de caixinhas de arrumação. Sendo a Cátia uma mulher criativa e não podendo aplicar esse seu talento às montras, dedicou-se de corpo e alma a este projecto. Cada caixinha é feita à mão, com amor, um imenso bom gosto e com especial atenção aos pormenores. Cada uma era mais bonita que a anterior e, num abrir e fechar de olhos, transformaram-se num sucesso! 


 

































Digam lá se não apetece levar todas para casa! Eu que sou uma maníaca da arrumação, mas que detesto ter as coisas enfiadas em caixas de plástico sem piada nenhuma que só dão vontade de esconder na despensa bem longe dos meus olhos, sou fã destas caixas que servem muito mais que o propósito da arrumação: são verdadeiras peças de decorativas. Como comecei por dizer no início do post, o que começou quase como brincadeira rapidamente se expandiu. As pessoas criativas são assim: não esgotam as ideias numa só coisa. Das caixas a Cátia passou às molduras












depois aos marcadores de livros,







aos porta-chupetas para os bebés saberem sempre onde está a chucha!











aos babetes mais giros que já vi - feitos em algodão, com forro em tecido turco impermeável













e até a cestas para levar para a praia!












Isto há muito que deixou de ser um simples negócio de Facebook e já se transformou num pequeno império. E é também por isso que gosto do Pingi ao Cubo. Para além das coisas lindíssimas que aqui mostrei - e que são uma pequeníssima amostra do que está disponível na página dela. Vão lá espreitar porque vale mesmo a pena - é um óptimo exemplo de como que estes negócios podem começar apenas como uns miminhos para os amigos mas, com perseverança e criatividade, podem também transformar-se em algo mais. 






Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Most wanted | Home edition

por Marisa Furtado, em 27.02.14

Ontem numa visita pelo site do IKEA bati palminhas de contente quando vi as peças da nova colecção. É que, afinal, não são só os trapinhos que pomos em cima do corpo que vão ter aquelas cores românticas e muito zen, também as nossas casas se vão vestir de tons pastel! Claro que não faz sentido redecorar toda uma casa com os tons de determinada estação, mas há sempre um recanto que está por preencher, um serviço de pratos que tem de ser substituído ou uma cadeira que já está velha e precisa de um forro novo.


 



Sem título #33


 

1. Capa de poltrona - 49€


2. Vela perfumada - 2.99€


3. Porta-velas - 1.99€. Se, como eu, gostam de ter velinhas espalhadas pela casa estes porta-velas são uma óptima escolha. Aquele picotado todo dá um efeito muito bonito à área envolvente.


4. Vaso, 4.99€


5. Pratos de cores variadas - 2.99€/uni


6. Jarras - 9.99€/2 uni. Tenho um conjunto destes no aparador da minha sala, mas em cor de laranja escuro, e adoro-o! Não lhe dei utilidade nenhuma, uso-o apenas para efeitos decorativos mas, garanto-vos, que faz toda a diferença. Apesar de gostar muito dos meus fiquei a babar por estes com tons mais suaves. A-do-ro o verde! De certeza que, tanto o rosa como o verdinho, vão voar das lojas num ápice. Eu bem sei o que passei para deitar a mão aos dois que tenho lá em casa.


7. Regador - 9.99€/uni. Se não têm um jardim e acham que um regador não vos faz falta nenhuma, pensem duas vezes. Um regador não tem necessariamente que servir para regar a horta. Lá em casa temos um deste género, em branco, onde guardamos as colheres de pau e restantes utensílios de cozinha em madeira. É uma peça improvável para se ter numa cozinha, o que dá logo um aspecto irreverente e divertido à decoração, e a diferença de cor e mistura da textura da madeira com o aço do regador resulta muito bem.


8. Cadeira - 59.99€. Aproveitem que está em promoção! Antes custava 64.99€. É uma óptima peça para uma sala ou quarto decorado, predominantemente, com tons neutros. Estas cores todas e o padrão divertido quebram a monotonia de uma divisão mais deslavada.


 


Não percam a oportunidade de espreitar a nova colecção porque vale mesmo a pena. Ah, e se a loja de Loures for a que vos fica mais à mão aproveitem para passar por lá dia 22 de Março. A Catarina Beato do blog Dias de Uma Princesa vai lá estar pelas 16h para participar num workshop de culinária. É um 2 em 1 imperdível. Não só levam peças giras para dar nova vida a vossa casa, como ainda aprendem a cozinhar coisinhas boas e saudáveis.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:44

Querido vamos mudar as almofadas

por Marisa Furtado, em 31.01.14

Afinal não são só as lojas de roupa que nos querem enganar e por-nos a pensar que já estamos na primavera. As lojas de decoração também fazem parte desse complot, as malvadas! Desde que juntei os trapinhos com o meu homem lojas como Zara Home, Area, Loja do Gato Preto e, claro, IKEA fazem parte do meu roteiro de compras. O IKEA, então, não só é a nossa segunda casa como é, também, a primeira. Depois de compararmos preços noutros sítios e olharmos para o nosso singelo orçamento, chegámos à conclusão que o IKEA era o que melhor servia as nossas necessidades. A qualidade das coisas não é espectacular, mas são bem giras, modernas e baratinhas. Com dois mil euros mobilámos a casa toda. Uma pechincha. E se há ali coisas que eu, admito, não vão durar uma vida outras há que tenho a certeza me vão acompanhar uns bons anos. 


Apesar de já termos tudo o que precisamos há certas coisas que ao longo do tempo sofrem algum desgaste e que precisam ser substituídas. É o caso das almofadas da sala e dos pratos que, apesar de continuarem em excelente estado, já sofreram algum desgaste aos meus olhos. Estou farta das almofadas que temos no sofá e já não aguento comer naqueles pratos. Felizmente o meu homem também tem um sentido estético muito apurado e não se importa nada de passar uma tarde no IKEA e nas demais lojas de decoração a escolher coisas giras para dar um face lift à nossa casinha - uma palavra: soul mates! Só não lhe peçam para "perder tempo" nas secções das almofadas, que o homem começa a ficar nervoso. Não sei porquê! Está bem que eu sou indecisa e quanto mais variedade houver pior é, mas a escolha das novas almofadas para o nosso sofá não é uma decisão que possa ser tomada de ânimo leve. Há que analisar tudo ao pormenor, escolher entre os vários tamanhos e padrões, a qualidade do tecido e por aí fora. É todo um mundo que exige um aprofundado estudo de mercado. Graças a Deus existe a Zara Home que, a cada estação, tem coisas lindas lindas e, infelizmente, caras caras. Já me estou a babar para as mantinhas e almofadas em tons pastel. Mesmo que não venham morar cá para casa, servem de inspiração. Pode ser que nos saldos as consigamos agarrar.


 


 





 













 


Qualquer uma destas almofadas ia fazer um vistaço no nosso sofá cinzento. A primeira custa 29.99€ e a segunda, que já está esgotada no site, fica-se pelos 19.99€. As outras custam entre 3.99€ e 19.99€, dependendo do tamanho. Quero-as a todas!



Tapete de casa de banho, amoroso, 29.99€





Há lá coisa mais bonita onde se comer um cozido à portuguesa? Tenho a certeza que estes pratos iam alegrar ainda mais as nossas refeições. Adoro-os a todos! Adoro, adoro, adoro. Este conjunto de 4 custa 29.99€.





Este querido é tão giro e versátil que tanto podia ir para o hall da entrada como para a sala. Estou indecisa. Custa 159€.





Adoro candeeiros e acho que são peças essenciais numa sala. Assim mesmo, no plural. Não gosto de ver casas com apenas um candeeiro por divisão. O ambiente fica frio e nada acolhedor. É obrigatório ter uma boa luz de tecto que ilumine toda a divisão num ápice, mas não há nada como jogar com diferentes focos de luz para aquecer o ambiente. Como a sala é onde passamos mais tempo a fazer as mais variadas coisas - jantar, ler, ver televisão, receber as visitas - acho que é importante ter vários tipos de iluminação que se adaptem às diferentes necessidades. Este candeeiro lindíssimo custa 79.99€.



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:11


talk to me!

theallengirlblog@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor


passaram por cá



no tumblr

Allen girl

no polyvore

my Polyvore

no pintarest

Pinterest

Follow


Posts mais comentados


Comentários recentes

  • Sara

    Desculpem mas eu AMEI este champo seco. Comprei em...

  • Carla Marques

    E os comentários dos defensores do piropo no Faceb...

  • isabel

    Quem consegue sair de casa e deixar para trás um r...

  • Marisa Furtado

    Não! Apeteceu-me apenas mudar-lhe o nome e o visua...

  • Pedro Neves

    Por momentos pensei que o blog estaria de saída do...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog