Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Pode iniciar a marcha.

por Marisa Furtado, em 19.02.14

Quando estava a tirar a carta de condução dizia, cheia de confiança, que não ia ser daquelas pessoas que tiram a carta e depois não conduzem, que isso era uma parvoíce e um desperdício de dinheiro. Fui a exame, passei, conduzi durante um ou dois meses, sempre acompanhada pelo meu pai, e depois de muitas discussões dentro do carro, muita gritaria, muito stress, entreguei as chaves ao dono e disse que assim nunca mais, convencidíssima que ele ia ficar cheio de pena de mim e me ia deixar conduzir sozinha. Pois... não aconteceu, e quando dei por mim tinham passado três anos.
Se até há bem pouco tempo ser conduzida para todo o lado pelo meu homem não me fazia confusão nenhuma, um dia o chauffeur de serviço sentiu-se mal, estava muito indisposto, com febre e vómitos, e eu comecei a ver a minha vida a andar para trás. "E se ele precisar de ir ao hospital? Não lhe vou dizer para se conduzir a ele próprio neste estado, coitadinho, mas eu também só de pensar em tirar o carro do estacionamento começo logo a sentir calores e baixas de tensão." Felizmente não foi preciso ir a lado nenhum, uma boa noite de sono e um dia regado a chazinho com muito mimo à mistura curaram a maleita. Mas isto para mim foi uma wake up call. De repente fez-se luz e percebi que, já que tenho a carta, não era nada mal pensado deixar-me de tretas e ganhar confiança para pegar no carro. Tentei dar umas voltinhas aqui na zona mas dois minutos depois de pôr o carro a andar só tinha vontade de travar a fundo e sair dali a correr. "Pronto andei dez metros e não bati em nada. Está óptimo. Daqui a três semanas repetimos." Toda a gente me dizia que bastava trocar de lugar com o meu homem umas quantas vezes para ganhar a confiança necessária para ir a todo o lado, mas isso comigo não é bem assim... preciso mesmo de estar num carro com dois sets de pedais - segurança acima de tudo, não é verdade? - e com alguém que eu não conheça e que, por isso, não me dê hipótese para desistir. Do que é que eu preciso então? Isso: aulas de treino numa escola de condução. Fartei-me de pesquisar na esperança de encontrar uma escola que me levasse uns 80€ por 10 aulas mas, aparentemente, isso não existe. Queres aulinhas de treino? E logo 10? Então passa para cá 180€ que é para aprenderes. Não foram 180€, mas foram 100€ por cinco aulas. Quando paguei até senti uma pontada no coração. Tantos casacos giros na Zara e eu a esbanjar assim 100€ para andar dentro de um carro com os nervos em franja. Mas pronto, é por uma boa causa.


Ontem tive a minha primeira aula e umas horas antes estava tão nervosa como quando fui fazer o meu exame de condução. O meu medo era a aula ser um autêntico desastre e o instrutor gritar-me um "você não tem remédio, não nasceu para conduzir, dedique-se à pesca". Assim que entrei no carro disse logo que era demasiado grande, que parecia uma carrinha - era um Toyota Yaris... - e que era impossível de conduzir, mas pronto lá tive de iniciar a marcha. Cinquenta minutos depois parei o veículo com saldo positivo: não matei ninguém, não destruí o carro nem o deixei ir abaixo. Tive direito a observações positivas: "Para quem não conduz há três anos não está nada mal, já vi muito pior. Só precisa de alguma prática." e outras menos simpáticas: "Sabe aquele vício que você tem de ir em 3.ª e quando precisa parar pôr o carro em ponto morto e passar logo para a 1.ª? Pois, não pode ser. Tem de fazer reduções".


"Ai é? Mas isso importa para alguma coisa tendo em conta que eu não vou a exame?"


"Importa. É uma questão de segurança."


"Então se eu for em 4.ª e precisar de parar mais à frente, tenho de passar pelas mudanças todas até à 1.ª?"


"Pois." 


Não vai ser fácil. Não sei como apanhei este vício porque quando estava a tirar a carta era obrigada a fazer as malditas reduções, mas foi provavelmente por ter passado estes últimos 3 anos a ver pessoas a conduzir. Afinal isto também se aprende por observação. Só é pena não conseguir absorver o à-vontade ao volante também por essa via. Estive tão tensa durante a aula que quando finalmente pude sair do carro tinha as pernas a tremer. E ainda me faltam 4!!! QUE PESADELOOOOO!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:05



talk to me!

theallengirlblog@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor


passaram por cá



no tumblr

Allen girl

no polyvore

my Polyvore

no pintarest

Pinterest

Follow



Comentários recentes

  • Sara

    Desculpem mas eu AMEI este champo seco. Comprei em...

  • Carla Marques

    E os comentários dos defensores do piropo no Faceb...

  • isabel

    Quem consegue sair de casa e deixar para trás um r...

  • Marisa Furtado

    Não! Apeteceu-me apenas mudar-lhe o nome e o visua...

  • Pedro Neves

    Por momentos pensei que o blog estaria de saída do...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog