Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dos pais na praia

por Marisa Furtado, em 28.07.14

Há uns dias A Gaja escrevia no Facebook que uma das coisas que todos fazemos na praia é criticar os pais em nosso redor sobre a forma como alimentam os filhos. Quando li pensei "pfff, eu não faço isto!". Mas faço e faço pior! Não só critico os pais sobre a forma como alimentam os filhos como critico tudo o resto que eles fazem. Mas a culpa não é minha! Juro. Eles é que se põem a jeito para serem olhados de lado pelos outros banhistas. Nestes dias de férias tenho aproveitado para ir à praia todos os dias e todos os dias me deparo com comportamentos desviantes em relação àquilo que eu acho que é a forma certa de se lidar com certas coisas. E sim, bem sei que ainda não tenho filhos, mas não é preciso tê-los para poder mandar bitaites ou ter opiniões formadas sobre esse assunto. Ou qualquer outro.
Logo nos primeiros dias montámos o estaminé ao lado de um homem com os seus 40 e tal anos acompanhado da filha e da tia. O sobrinho e a tia estavam com cor de fatias douradas, bem castanhos, cheios de sinais pretos nas costas e luzidios graças ao óleo que besuntavam na pele sempre que vinham da água para depois secarem ao sol. Também tinham chapéu de sol, mas era para fazer sombra à geleira com o farnel para o dia, que comer sandes de chouriço quentes é uma porcaria. Isto já é mau, mas pior foi o que ele disse à filha, uma miúda que devia ter uns 13 anos: "Vai lá à água para depois pores o óleo. Tens de ter cuidado que estás a ficar mais bronzeada à frente do que atrás." Esta é que é uma mensagem importante para se passar a uma rapariga prestes a entrar na idade parva, também conhecida como adolescência. O importante não é evitar as horas de maior calor, usar protector solar, alertar para as doenças que podem resultar de exposições prolongadas ao sol e rebeubéu pardais ao ninho. Não, o importante é fritarmos a pele com óleo para termos um bronzeado-à-la-fatia-dourada uniforme. E a miúda lá foi molhar-se para depois o paizinho a besuntar com óleo. Já disse que tudo isto se passou quase às 13h? Pois.


Ontem a criminosa era uma mãe. Estava na praia com o filho e quando vê a senhora das Bolas de Berlim vai a correr para ela toda lampeira. "Oh Miguel, anda cá escolher um bolo.", "Não quero", respondeu o rapaz. "Mas pede na mesma. Não queres agora mas podes querer depois". "Mas eu não quero! Acabei de comer um gelado", "Não interessa! Compras e guardas para mais tarde!". Moral da história: dois minutos depois já o rapaz já estava a trincar um jesuita com gila. Mas quando é que as mães deixaram de dar voltas à cabeça para impedirem os filhos de comerem porcarias, para quase os obrigarem a comer 5 pastéis de amêndoa de seguida? Em conversa com o meu homem disse que o truque está em retardar ao máximo a introdução de doces na alimentação dos miúdos. "Mas isso é impossível", disse ele todo esperto "eles vêem os outros a comer e também querem." E agora pergunto eu: e?! Uma criança de 3/4 anos não decide o que come. Vê outra a comer um palmier recheado ao lanche e também quer um, isso quer dizer o quê? Que os pais devem abandonar toda a teoria da roda alimentar e inventarem uma nova onde só há bolos e batatas fritas? Temos pena, queres um palmier recheado mas agora comes um iogurte e uma peça de fruta. Amanhã pensamos no bolo. É provável que depois disto a criancinha se mande para o chão a chorar porque tem uma mãe horrível que não lhe dá bolos cheios de creme ao lanche, mas mais tarde há-de cá vir agradecer. Há uns tempos ouvia uma mãe queixar-se porque a filha de 3 anos era obesa, e estava desesperada sem saber o que fazer porque a criança gostava muito de comer, especialmente doces. Mas que raio!! A miúda está obesa mas a culpa é da mãe, não é por gostar muito de comer. É porque pede à mãe doces e carcaças com manteiga antes do jantar e a mãe para não a ouvir dá-lhe o que ela quer. Se só lhe desse fruta, peixe, sopa e carnes brancas de certeza que a criança não estava assim. Mesmo que quisesse repetir cada dose. Juro que estas coisas me deixam doente. Ai queres ter esta cor linda e nada ridícula do paizinho? Então toma lá um frasco de óleo Johnson para te besuntares de meia em meia hora. Ai tens fome? Come um bolo. Olha e aproveita e traz também uns pasteis de amêndoa caso tenhas fome antes de jantar. Isto é o fim do mundo em cuecas. Daqui a 20 anos vai andar tudo obeso, com o colesterol em valores vertiginosos e problemas de pele. E a culpa é de quem? Dos pais. Sempre dos pais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:42



talk to me!

theallengirlblog@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor


passaram por cá



no tumblr

Allen girl

no polyvore

my Polyvore

no pintarest

Pinterest

Follow



Comentários recentes

  • Carla Marques

    E os comentários dos defensores do piropo no Faceb...

  • isabel

    Quem consegue sair de casa e deixar para trás um r...

  • Marisa Furtado

    Não! Apeteceu-me apenas mudar-lhe o nome e o visua...

  • Pedro

    Por momentos pensei que o blog estaria de saída do...

  • Restaurante A Mexicana

    Sr. Miguel Diniz, obrigado pelo elogio!Quanto ao p...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog