Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A ecologia é uma questão de dinheiro?

por Marisa Furtado, em 18.02.15

Quando, na semana passada, ouvi a notícia de que a partir de agora os sacos de plástico que usamos para levar as compras eram pagos passei-me. Depois reflecti um bocadinho, pesei os prós e contras e continuei passada, embora um bocadinho menos. Está certo que levamos muitos sacos de plástico sem necessidade, que na maioria das vezes nem os enchemos como deve ser, que como são à borla levamos uma coisa em cada saco e não pensamos mais nisso, mas... dez cêntimos?! 10?? Não podiam fazer a coisa por menos? Ainda por cima este assunto toca-me especialmente no coração. Tenho um gato em casa e nem imaginam o jeito que os sacos do Jumbo e do Continente me davam para lhe tirar os xixis e os cocós da caixa de areia todas as manhãs. É óbvio que o vou continuar a fazer, até porque assim de repente não me lembro de outra solução, mas em vez de ser com sacos gratuitos vou ter de passar a comprar daqueles mais pequeninos para o lixo. Ou seja, o uso que dou aos sacos vai ser o mesmo e em igual quantidade... mas agora vou pagar por isso. É a vida.
Por mais voltas que dê ao assunto acabo sempre por compará-lo à fantástica lei de não se poder circular em certas zonas de Lisboa com carros anteriores a 2000. Eu até percebo a ideia, é importante haver menos poluição e estarmos todos conscientes do que podemos fazer para controlar isso, mas... não era mais justo que antes de virem mexer na carteira do povinho começassem por cima? Sim, era importante reduzir os níveis de poluição do ar em Lisboa mas antes de desatarem a multar pessoas que têm carros velhos, não porque querem mas porque não têm dinheiro para comprar um mais recente, deviam criar infra-estruturas para facilitar a vida às pessoas. Eu achava fantástico que não houvesse circulação de carros na Avenida da Liberdade desde que se arranjasse uma solução viável para quem opta por entrar em Lisboa de carro, como por exemplo melhorar ou alargar a rede de transportes e criar parques de estacionamento gratuitos. Claro que num mundo perfeito ninguém andaria de carro e usávamos todos os transportes públicos à disposição, mas as coisas não funcionam assim, nem podemos ser fundamentalistas a esse ponto, tenham lá paciência. O mesmo se passa com os sacos de plástico. Não seria mais justo se antes de cobrarem 10 cêntimos às pessoas por cada saco começassem por obrigar as empresas que embalam carne, peixe, fruta e por aí fora a usar outros materiais que não o plástico? Isso actualmente não acontece. Na segunda-feira fui às compras e quase tudo o que levava no carrinho era embalado com recurso a plásticos mas depois quando chegou a minha vez de pagar pimba dá cá 10 cêntimos por cada saco. Claro que fiz o que muita gente faz, comprei um daqueles de ráfia e pus tudo lá dentro, e claro que agora me vou tentar lembrar de andar sempre com um saco desses dentro do carro e, se pensarmos bem, isto, na verdade, não causa transtorno nenhum às pessoas, é só uma questão de hábito, mas isso não invalida tudo o resto. Não invalida eu achar mal que se comece sempre, sempre, sempre por baixo. Não se descobriu ontem que o plástico polui. Não é nenhuma novidade. Há países na Europa que já têm esta lei implementada há mais de 10 anos. O que me parece é que esta medida foi pensada mais para engordar os cofres do Estado e menos para criar uma consciência 'verde' nos portugueses.  
Os impostos aumentaram, o desemprego também e quem tem a sorte de manter o emprego viu o ordenado diminuir. Seria de esperar que o governo - assim mesmo, com letra pequenina - quando decidisse ser verde porque agora está na moda não começasse, por uma vez na vida, pelo povinho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:09


33 comentários

Sem imagem de perfil

De Laissez Faire a 18.02.2015 às 10:40

Eu já usava os sacos grandes de ráfia para levar as compras. Prefiro andar sempre com dois sacos grandes do que vários sacos de plástico. Mas confesso que também trazia os sacos de plástico, pois dão-me jeito para pôr no ecoponto e mesmo no balde do lixo comum. Agora vou passar a comprar sacos para o lixo, pois fica-me mais barato do que dar 10 cêntimos por cada saco de compras que ainda por cima não vale nada (dúvido que eles melhorem a qualidade dos sacos só por passarem a ser pagos...).
Imagem de perfil

De Nita a 25.02.2015 às 15:36

Fazia exactamente o mesmo que tu e também vou ter de passar a comprar sacos para o lixo. Mas quanto a qualidade dos sacos, do que me tenho apercebido pelo menos no continente melhoraram a qualidade sim, são agora mais resistente e, parece-me, ligeiramente maiores.
Sem imagem de perfil

De Laissez Faire a 25.02.2015 às 18:39

Quando escrevi este comentário ainda não tinha visto nenhum saco do Continente e de facto são realmente de melhor qualidade. Inclusivamente fiz compras online e ofereceram-me 3 desses novos sacos...deve ser para adoçar a boca para depois os comprar eheheh
Sem imagem de perfil

De Krystel a 18.02.2015 às 22:32

A mim choca-me é ver tanto choque com esta medida. Moro em França há cinco anos e rapidamente me habituei em levar um saco de pano ou um carrinho de compras (destes (http://media.meltyfashion.fr/la-ligne-de-caddies-de-la-marque-derriere-image-367473-article-ajust_930.jpg)para as compras da semana para o supermercado.
Para quem tem animais, o que vejo os franceses a fazer é usarem os sacos de plástico onde se põem a fruta e os legumes quando a mesma se pesa nos grandes hipermercados (que esses, pelo menos aqui, continuam grátis, tal como aí). Se não, nada como usar jornal, papel publicitário ou sacos provenientes de lojas. Vejo aqui as pessoas a arranjarem soluções.

Mesmo que seja para engordar os cofres do estado e a não incutir uma cultura verde nos portugueses, concordo a 100% com a medida. Mesmo com tanta coisa contra, a verdade é que é um passo para a redução da utilização exagerada de sacos de plástico.
Sem imagem de perfil

De Artur a 25.02.2015 às 11:13

Krystel, faço-lhe uma pergunta, os sacos da fruta, que também são usados para os dejectos dos animais e que são colocados no lixo depois de usados, não poluem?
Se sim, porque é que estão isentos de imposto?
E porque é que se o saco plástico tiver mais de 50 microns (espessura) está isento? Não polui?
A única coisa de verde que vejo nesta medida é a cor das notas que o governo Português está a tentar sacar aos contribuintes.
Só mais uma coisa, pelo que vi, em algumas superfícies os sacos de plástico foram "substituídos" por saco de papel, e eu pergunto, em termos ambientais, será essa uma boa opção?
Não sou a favor dos sacos de plástico indiscriminadamente, mas a lei de ambiental tem muito pouco ou mesmo nada.
Em França desconheço como se processa mas quero acreditar que não seja como cá no burgo.
Sem imagem de perfil

De x.buar a 25.02.2015 às 14:39

Concerteza poluem. Mas isso e uma falsa argumentacao. O inverso do seu raciocinio seria "Ora vamos continuar a dar sacos 'a balda porque os outros tb poluem". Tem que se comecar por algum lado. De qualquer forma nunca vi ninguem levar 10 macas, cada uma em seu saco.
Pois toda a gente arranja solucoes engenhosas para o lixo e penso que o argumento "vamos continuar a distribuir sacos de borla pq sao uteis para o lixo", nao e' um argumento suficiente para justificar que se continue a oferecer.
E certo que ningem gosta de pagar impostos e infelizmente vivemos o momento que vivemos, mas vamos parar de resistir a mudancas que sao banais, sao positivas para o ambiente e para todos nos, so porque trazem algum beneficio ao pais (que so por acaso somo todos nos, embora infelizmente apropriado de vez em quando por alguns). Ainda por cima nao e' assim tao complicado contornar este custo. Basta reutilizar sacos para ir as compras, e ou utilizar jornal para apanhar o coco do gato. Eu passo a vida a receber 1001 publicidades, que bem gostaria de nao receber e que fico bem feliz ver embrulhadas com o coco do felino.
Sem imagem de perfil

De Artur a 25.02.2015 às 15:17

Penso que não entendeu o meu raciocínio.
Não sou contra acabar ou minimizar a utilização dos sacos plásticos, muito pelo contrário, apenas digo é que a argumentação utilizada é uma enorme farsa.
Ou se taxa todos os sacos plásticos, ou não se taxa nenhum.
A redução nunca esteve em causa, o que está em causa é a utilização abusiva da questão ecológica.
Porque o que está a acontecer é que o nosso ministro arranjou foi mais um bom negócio para os supermercados, que cobram por um sacos que não pagam imposto e que por incrível que lhe pareça vão continuar a ser usados sacos plásticos para o mesmo fim que estão a ser usados agora. Senão leia alguns comentários aqui no blog ou questione as pessoas sobre como irão proceder daqui para a frente. A questão ecológica "morre" logo á nascença.
Mas a nossa economia também precisa de ser animada, pena é não falarem a verdade. Coisa que já estamos habituados.
Sem imagem de perfil

De Ana a 25.02.2015 às 17:08

Isto é tudo uma grande farsa e o governo não vai receber nem um centimo porque todos os supermercados resolveram fazer sacos com mais de 50 mg que nao sao taxados pelo governo e sao vendidos aos clientes porque querem....é uma questaõ de aproveitamento dos supermercados e lojas em geral....
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 25.02.2015 às 11:49

Kristel, só uma questão: nos sacos de fruta ou outros semelhantes não existe a precupação de serem biodegradaveis. Os sacos que eram oferecidos nos hipers eram biodegradaveis, e a maioria das pessoas utilizava-os para o transporte de lixo, sendo que agora se comprarem sacos para o lixo de certeza que vão comprar dos mais baratos (eu vou), porque apenas os mais caros são biodegradaveis. A solução era muito simples e não há alternativa, (até porque vai sempre haver sacos de plástico, agora até mais poluentes que os antigos), deveria dotar-se as empresas de reciclagem de metodos eficázes de separação de sacos de plástico, é muito simples, só que custa dinheiro a alguns lobbys, e então a coisa vais da maneira mais fácil e rentável para o governo, arrecadar receita. Já agora comigo nem 1ct vão lucrar, nem 1 único saco irei comprar, e se comprar será obviamente dos que custam menos (6cts), e são mais grossos, é o que toda a gente está a fazer. Já agora estes claro poluem mais....aí está a maravilha da medida do governo, um desastre!
Sem imagem de perfil

De José Manuel a 25.02.2015 às 22:32

Em França quanto é o ordenado minimo?Sabe?Em Portugal é apenas
505,00€ desde o inicio do ano e quanto aos sacos é mais um imposto,vê agora os da Quercus,os tais do ambiente a fazer"barulho"?Não,só querem é dinheiro,os sacos vão se gastar na mesma,mais ou menos vão e o sr.ministro,será mesmo,nem um quarto do que ele quer vai buscar,até dezembro,para continuarmos a conversa.
Imagem de perfil

De marta-omeucanto a 25.02.2015 às 09:14

Sou da mesma opinião, como também já referi no meu blog. Por muito que tentem passar a ideia de uma medida ecológica, parece mais uma medida para o governo obter dinheiro. E por que raio é que temos que ser nós a encontrar as alternativas, e não o governo, a encontrar outras medidas ecológicas que não interfiram ainda mais com a nossa carteira?
Quanto aos 10 cêntimos, ou os supermercados estão a pagar uma parte dessa taxa ou encontraram alternativas para fintar a medida porque até agora só encontrei sacos a 6 cêntimos, e mais resistentes que os antigos.
Sem imagem de perfil

De setrakian a 25.02.2015 às 10:37

é sabido que o governo se preocupa muito com a ecologia, como já ficou bem patente em medidas anteriores... p/ex: o sorteio semanal de automóveis promovido pelo Fisco!!!
Imagem de perfil

De Kel a 25.02.2015 às 13:18

Muito bem visto.
É claro que a medida não é ecológica.
Muitos supermercados já cobravam 2 cêntimos pelos sacos, e os que eram gratuitos eram já biodegradáveis. Eu utilizava quer uns quer outros para o lixo e reciclagem. Agora vou ter de os pagar mais caro para o mesmo efeito. Ou utilizar dos sacos pretos, que são igualmente poluentes, ou não são?
Posso e uso já desde há muito os de ráfia para as compras, mas onde coloco o lixo?
Ou querem que este povo retome a prática e jogar o lixo diretamente do balde para o caixote, tornando as nossas localidades mais sujas e com riscos de saúde para os profissionais que o recolhem? Eu suspeito que isso vá acontecer, não estou a ver quem tenha carências económicas a comprar sacos especificos para este fim...veremos como será daqui em diante.
Desde o ano passado que estou revoltadissima, mas eu vou votar!!!
E não vou perdoar nem esta nem outras medidas descabidas e mais gravosas que este governo tomou!
Imagem de perfil

De anacb a 25.02.2015 às 11:15

Não podia estar mais de acordo. Já há muito tempo que evito trazer sacos plásticos do supermercado, levo sempre os meus, por isso a medida não me afecta propriamente. Mas esta taxa é simplesmente uma forma de o governo ir buscar mais dinheiro às mesmas pessoas (nós, os pagantes do costume...), embora apareça simpaticamente maquilhada de "ecológica". Há tanta coisa que poderiam fazer além disto e não fazem... porque isso não irá render nada aos cofres do estado. E também eu já adoptei a prática (referida num comentário acima) de reutilizar os sacos plásticos transparentes onde trazemos a fruta para os lixos e aquelas coisinhas em que precisamos mesmo de um plástico.É verdade que às vezes não são completamente estanques, mas aí a solução é colocar um jornal no fundo, para absorver as humidades.
Parabéns por este post, e pelo destaque! :)
Sem imagem de perfil

De Rui a 25.02.2015 às 11:20

"Não seria mais justo se antes de cobrarem 10 cêntimos às pessoas por cada saco começassem por obrigar as empresas que embalam carne, peixe, fruta e por aí fora a usar outros materiais que não o plástico?" Creio que aí teria de pagar mais pelos bens, pois as empresas que os embalam iriam seguramente subir o preço. E provavelmente ficaria mais oneroso para o consumidor final do que pagar os 0.10€ por saco de plástico... mais vale deixar ficar como está...

Toda a gente tem direito à sua opinião, é válido o argumento desta medida ser... ecológica, mas também não tenho dúvidas que o motivo principal de promover estas medidas... ecológicas, é para encher os cofres do estado à custa do zé povinho.
Sem imagem de perfil

De Tiago a 25.02.2015 às 11:30

A medida de taxar os sacos de plástico leves é muito bem vinda e bem aplicada. Eu há mais de 5 anos que uso sacos de ráfia para as compras do dia a dia. Estes sacos duram uma vida. A verdade é que os portugueses podem viver com menos sacos de plástico leves e com isso poluir menos. A título de informação, os 10 cêntimos cobrados são para cobrir os custos associados à poluição provocada pelos mesmos. Sim, tem efeitos nefastos no ambiente e na biodiversidade. Todos ganhamos em consumir menos sacos de plástico leves. Repito, todos. E além disso existem alternativas. Para quem ainda tem dúvidas sobre o assunto, sugiro este site da Agência Portuguesa do Ambiente. http://www.apambiente.pt/sacosplastico/
Sem imagem de perfil

De TEodoro a 25.02.2015 às 11:59

Um saco "leve" custa 10 cts, um saco de plástico "mais grosso" custa 6 cts. Os 10 cts vão para o estado, os 6 cts vão para o retalhista (hiper). Moral da história, as pessoas compram os mais baratos, que são mais grossos, que poluem muito mais (quer na sua produção, quer na sua destruição) e os hipers ganham ainda mais dinheiro. Onde está a brilhante solução nesta medida????
Sem imagem de perfil

De André a 25.02.2015 às 22:28

Atenção é que a Agência Portuguesa do Ambiente, ESQUECEU-SE da quantidade de sacos que vão parar à reciclagem.
Criaram valores com base no que é apresentado pelas empresas que tratam dos aterros sanitários do país. A nível de reciclagem, os sacos entram na secção de plásticos... como entra qualquer item de plástico que lá seja colocado, incluíndo garrafas de plástico.
Por outro lado, as empresas de reciclagem tem reduzido a sua produção de materiais, pois o mercado não os aproveita.

Em vez de taxarem os sacos, podiam ir por uma via muito mais simples: Criar uma redução de taxa de IVA sobre os produtos reciclados.
Eram criadas 2 novas secções no código do IVA onde os produtos reciclados pagavam 4% de IVA se fossem da secção dos reduzidos ou 21% se fossem da secção normal.

Era uma medida simples e que iria acabar por levar as pessoas a reciclarem o material mas, principalmente, a usarem materiais reciclados.
Basta ver que no papel, uma resma de papel reciclado custa 3 euros. Uma de papel normal custa 2,50. Portanto, quem vai comprar, vê o papel reciclado a ser mais caro, vai optar pelo papel feito a partir de pasta de papel.
E nisto não há volta a dar... se o reciclado é mais caro, não vai ser adquirido.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 25.02.2015 às 11:30

Só um pensamento: se o saco fôr grátis provoca poluição, se o saco custar 10 cts já não provoca poluição.... onde isto chegou! Se a medida fosse realmente sincera, pura e simplesmente a lei dizia acabar de vez com os sacos de plástico nos hiper... este governo é só tretas e trapalhadas...
Sem imagem de perfil

De Artur Pinto a 25.02.2015 às 12:03

Realmente é um assunto dificil... E como diz a questão aqui é esta medida ter uma justificação pobre e que nos deixa com o sabor na boca de... mais impostos? Taxas e taxinhas... é assim que o nosso governo encontra o financiamento para todos os outros gastos superfulos que continua a ter e a fazer.

Esta moralidade, para os outros, vinda de quem não sabe o que é cuidar de uma casa ou viver com o ordenado minimo é irritante.

Os sacos poluem, é verdade, e nada contra a tentativa de mudar para habitos mais saudaveis e verdes, mas tenham tento.

Já agora, porque não cobram uma taxa de IVA e IMI para certos produtos, que são sempre importados e que custam dinheiro ao pais para os consumirmos menos? BMW's por exemplo...
Sem imagem de perfil

De Conceição Saraiva a 25.02.2015 às 18:30

Contra a medida não tenho nada. Mas a forma como foi aplicada. Para quem não sabe isto não é uma taxa, é uma contribuição, pois assim o nosso governo consegue taxar a dita contribuição com a taxa de Iva. Sim porque este imposto(Contribuição) de 8 cêntimos ainda é taxado dos 23% de IVA. E não é que o governo é tão justo que a lei saíu em 31 de Dezembro 2014, para ser aplicada a partir de 15 de Fevereiro de 2015. Por acaso o senhor ministro do ambiente não sabe que a maioria dos pequenos comércios compram este produto para 1 e 2 anos? Obrigou as empresas detentores de sacos declara-los para aplicar a taxa dos sacos. Então as pessoas compraram os sacos nem se falava na lei, e agora são obrigadas a pagar uma taxa? Isto não é inconstitucional? E taxa sobre taxa? Também não é? Se não é devia ser. Será que esses senhores (Governo) sabem o que se está a passar neste país? A maioria das pessoas tiveram que mandar destruir os sacos por não conseguir pagar a exorbitância de imposto exigido. Sacos esses que pagaram aos seus fornecedores que por sua vez já tinham sido taxados com o IVA que foi para os cofres do estado. Onde é que está o nosso Presidente da República que admitiu esta injustiça? E os nossos jornalistas? Não se houve falar deste assunto... Nós gostamos muito de saber como vai a vidinha do Sr. Engº José Sócrates e dos problemas da Grécia, mas por favor vejam o que se está a passar neste país. Basta ver o numero de lojas que há neste país e imaginar o numero de pessoas que estarão nesta situação. Eu não estou, porque se estivesse garanto que não declarava sacos nenhuns (sacos comprados antes de sair a lei) e ainda processava o governo Português por inutilizar os mesmos.
Sem imagem de perfil

De Helena A. a 25.02.2015 às 12:10

Olá, parabéns pelo destaque!
Esta medida não foi tomada pelo governo porque se preocupam com o ambiente! Esta medida foi mais um meio de irem buscar mais dinheiro ao mesmo de sempre: o Zé Povinho!
Por mim não ganham nada: eu levo sempre na mala um saco de pano para onde for (já o fazia antes desta Lei), e quando é para trazer mais compras levo sacos de ráfia, pois aguentam melhor o peso da compras.
É muito triste que querendo o nosso Governo mais dinheiro não tenha a coragem de cortar onde deve: frota automóvel, telemóveis, viagens, etc... do Governo e dos Deputados... E para que necessitamos de uma Assembleia da República de 320 Deputados? Porque não podemos funcionar com o mínimo de 180? Até a Austrália tem muito menos do que o nosso País!
Aí sim, iriam poupar!

Comentar post


Pág. 1/2



talk to me!

theallengirlblog@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor


passaram por cá



no tumblr

Allen girl

no polyvore

my Polyvore

no pintarest

Pinterest

Follow



Comentários recentes

  • Carla Marques

    E os comentários dos defensores do piropo no Faceb...

  • isabel

    Quem consegue sair de casa e deixar para trás um r...

  • Marisa Furtado

    Não! Apeteceu-me apenas mudar-lhe o nome e o visua...

  • Pedro

    Por momentos pensei que o blog estaria de saída do...

  • Restaurante A Mexicana

    Sr. Miguel Diniz, obrigado pelo elogio!Quanto ao p...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog